28 de fevereiro de 2014 Por
0 Em Delicias do paladar/ Reflexões/ Viagens

Smartphonia aguda: Será que todo mundo vai pegar?

Foto-2-2

Ver bebês de um ano mexendo nos telefones, tablets e etc é encantador, mas com o tempo isso já não será novidade pra ninguém. Eles já nascem quase que com um registro virtual.

Entretanto, em outubro de 2013 estive no Tirol, região oeste da Áustria, vi algo que me fez refletir:

Jantando numa taberna que existe desde 1750, vejo um senhor com mais de 90 anos, um dos últimos membros da nobreza austríaca,  sentado ao redor da família.

Extremamente lúcido, ele pega sua lupa e começa a ler algo no seu iPhone. Vendo aquela cena, saquei o meu e não hesitei em fotografá-lo. Lógico que de forma discreta e à distância. Pena que a qualidade com o zoom não ficou muito boa.

Ao ver a foto, turbilhões de pensamentos vieram tempestivamente a minha imaginação. Será que ele estava achando a conversa entediante ou é tão jovem que adquiriu a “doença” dos últimos tempo: “smartphonia aguda”? Achei fantástico (risos).

Pra quem não sabe, a “smartphonia” é uma definição, dada por mim, que descreve essa mania de ficar conectado ao telefone e que tira a gente do momento real, fazendo com que bisbilhotemos a vida alheia pela internet. É como se vivêssemos em um mundo paralelo e conseguíssemos “quase”estar em dois lugares ao mesmo tempo. 

Mas isso é um outro tema … enfim, moral da história: descobri que esse simples momento me fez ter certeza que, enquanto há vida, há chance de nos mantermos jovens e atualizados.

Texto: Kely Martins Bauer  / Revisão: Cinthia Stylianou 
kely Pelo Mundo

Veja também

Comentários

  • Reply
    Silvia
    17 de março de 2014 at 8:45 pm

    rsrs Muito boa!! 🙂

  • Reply
    Bernadete
    20 de março de 2014 at 1:10 am

    Boa observação, a mania atual de viver conectado já atingiu as gerações anteriores nivelando as formas de comunicação.

  • Deixe um comentário