23 de março de 2017 Por
9 Em Europa/ Reflexões/ Viagens

O que aprendi em 48 horas em Roma

O que fazer em Roma

 

Roma fica a 1 hora e meia de voo de Viena e, recentemente, fui passar 48 horas na capital italiana. Essas poucas horas por lá foram bem importantes. Como essa foi a minha quinta vez na cidade, pude desfrutar da viagem de uma forma muito diferente. Resolvi que não iria fazer muitas fotos e que iria aproveitar o máximo do tempo ali, vivendo a vida sem me preocupar em registrar nada para contar depois. E foi maravilhoso.

Para quem não sabe, desenvolvi um vício. Nos últimos 2 anos tenho tirado foto e feito filmes demasiadamente, negligenciando, assim, um pouco da vida naquele momento. Mas o pior dessa história é que acabei gerando um excesso de lixo virtual. Fotos demais, organização de menos. E isso está gerando em mim uma ansiedade tremenda.

 

Acredito que cada viagem tem o poder de nos trazer várias lições para vida. E naquelas 48 horas aprendi tanta coisa que precisa dividir com vocês:

Em um  dos poucos registros que fiz e o melhor, sem me preocupar se a foto ficaria boa ou não .

Lição Nr 1- Gentileza só contribui para melhorar a vida e, em momentos de stress, ela é fundamental

Ainda no aeroporto de Viena corremos o risco de não embarcar, devido ao overbooking. Éramos os últimos da lista de espera. No balcão alguns italianos e austríacos estavam aos berros com as atendentes, que não estavam preparadas para enfrentar a situação e lidar com pessoas rudes e mal-educadas. Uma das atendentes começou a gritar com alguns dos clientes e logo em seguida foi para a lateral do balcão.

Após alguns minutos, chamei a atendente no canto e disse a ela com uma voz doce: “olha, eu entendo sua situação e sei que você se estressou, mas não precisa gritar com seu cliente. Numa próxima vez, explique o procedimento e mantenha-se calma. Você tem o comando”. Os olhos da moça marejaram e ela ficou mais tranqüila. Ela simpatizou comigo e prometeu tentar nos colocar na aeronave.

Naquele momento, chegou sua colega que, sem saber dos bastidores, falou que não poderia fazer nada por nós, pois tinha uma lista de espera e tinham que seguir a ordem. Agradeci a atenção e sai de perto. Enquanto isso, meu marido foi falar com a supervisora geral. Enquanto todos esbravejam, ele explicou calmamente que se perdêssemos o voo, não faria sentido a nossa viagem já que ficaríamos na cidade por pouco tempo.

Não sei o que houve, mas abriram quatro vagas na aeronave, e nós, que éramos os últimos da lista de espera de 8 pessoas, embarcamos na primeira classe. Moral da história: gentileza gera gentileza

Lição Nr 2- Um lugar pode remeter você a uma lembrança boa ou ruim, por isso evite brigar em viagens.Rs

Meu primeiro desentendimento com meu marido foi em Roma, isso lá em 2008 . Ao passear pela escadaria da Piazza de Spagna, tive um ataque de ciúmes e eu nem me lembrava mais dos detalhes. O episódio o marcou tanto que, ao passearmos novamente pelo lugar, ele começou a rir e disse: “você lembra que foi aqui que brigamos pela primeira vez? Eu comecei a rir e disse: Nossa! Você se lembra disso? Ele disse“ brigamos tão poucas vezes que dá para saber onde nos desentendemos“.

Ainda não sei se considero isso elogio ou crítica. rs

Lição 3-  Bloqueie energias negativas – Ninguém é obrigado a conviver com mau-humor alheio!

Você conhece alguém que só conta coisa ruim? E que, ao contar um simples fato, coloca uma energia tão negativa que você, ao sair da conversa, se sente cansado? Pois é, isso aconteceu comigo lá em Roma.

Uma austríaca, nossa conhecida, estava no mesmo evento e nos acompanhou em alguns momentos. Quase todos os seus comentários eram carregados de expressões negativas.

Eu sou muito faladeira, mas quando percebo que ao meu lado só tem gente negativa e que coloca uma carga emocional pesada em todas as coisas, a minha tendência, agora depois de alguns anos de experiência, é me calar. E foi isso que fiz, pois aprendi que não vale a pena entrar na mesma frequencia de quem só quer brigar ou se vitimizar. Por isso, a minha estratégia é me manter à distância para não me machucar ou sair esgotada. Mesmo assim ainda fiquei cansada ao ouvir tantas reclamações em pouco espaço de  tempo.

Minha vontade era de falar: fulana como você exagera e coloca carga negativa nisso… mas segurei a língua. E o que aprendi com isso? Nem sempre você precisa falar tudo o que pensa. Tudo passa.  E não sou eu quem tenho a obrigação de conviver permanentemente com  o mau-humor alheio.

Lição 4- Não preciso registrar tudo para dizer que estive ali. Menos é mais!

Acabei tirando apenas 10 fotos, sendo que normalmente faria umas 130, mas saí super feliz por ter conseguido tirar apenas poucas fotos, e ter feito snapchat com moderação. Meu amadinhos do snap gostaram do conteúdo, e eu fiquei feliz por dividir minha viagem com o pessoal, sem ter que me sobrecarregar, ou tirar o tempo de estar com o marido ao andar pelas ruas. E o que aprendi? Menos, às vezes, é mais. Mais qualidade de vida e menos excesso de conteúdo virtual.

Fora isso, me senti super vitoriosa pelo fato de ter cumprido a minha promessa. Querendo ou não, é difícil para um viciado conter seu vicio.

Lição 5 – Confie absurdamente na sua intuição

Combinei de encontrar com uma pessoa para tomar um café na cidade. Tudo agendado e marcado e eu  estava toda animada, porém minha intuição me avisou com 15 horas de antecendência para que eu não me animasse tanto porque o programa iria furar. O mais estranho é que ouvi da voz interior até mesmo qual seria o motivo. Gente! Dito e feito, a pessoa me enviou uma mensagem usando até as mesmas palavras que minha intuição havia me dito. Chocante né? Confesso que dessa vez fiquei muito muito intrigada. O compromisso foi adiado e eu não me decepcionei, afinal já havia sido avisada.

Bônus: Se você chegou até aqui, e quer uma dica de um restaurante com comida italiana autêntica, frequentado por moradores, e que fica perto do parque Villa Borghese, anote ai!

Il Localino da Claudio. Via Lazio 22 Roma 00187 http://osteriaillocalino.it

Se quiser ver Roma em 5 min, aperta o play para ver o vídeo que fiz por lá, no final de 2015.

Um beijo e até o próximo post

 

vista de avião

No caminho para Roma

 

 

Fontana de Trevi

Fontana de Trevi sempre lotada. Se quiser tirar sem gente precisa chegar ás 6 da matina.

 

Basílica Úlpica

Basílica Úlpica, o edifício não tinha nenhuma função religiosa e servia como local onde se administrava a justiça se promovia o comércio e contava com a presença do imperador.

monumento Vittorio Emmanuele

Monumento Vittorio Emmanuele

kely Pelo Mundo

Veja também

9 Comentários

  • Reply
    Lidiane Albuquerque
    23 de março de 2017 at 10:11 am

    Adorei o post, Kely! Tenho que aprender a diminuir o número de fotos e postagens durante a viagem, sinto que é um vicio também … 🙁 Mas adirei ler seu relato.

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      23 de março de 2017 at 8:55 pm

      Lidiane eu me libertei, tomara que isso dure por mais tempo. Obrigada por comentar.
      Beijos

  • Reply
    Elizabete fernandes
    23 de março de 2017 at 11:23 am

    Nossa!
    Lições que guardamos por tida vida não é? ! Amei!
    Lembrei quando lia a lição nr1, do livro O poder da paciência “M. J. Ryan” que li há algum tempo. No livro tem uma passagem idêntica com a sua, tb no aeroporto, mas, em Toronto. “A PACIÊNCIA NIS AJUDA A CONSEGUIR AQUILO QUE QUEREMOS”.
    Estou trabalhando a minha😅.
    Fácil não é! Mas sim…muito necessário.
    Amei cada lição da sua maravilhosa viagem. Abraços Kelly.

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      23 de março de 2017 at 8:56 pm

      Elisabeth que maravilhosa essa frase. Obrigada por compartilhar.
      Beijos
      Kely

  • Reply
    Iana Leite Martins
    23 de março de 2017 at 2:11 pm

    Como o europeu se diverte! Comida boa, festa, alegria!!
    Bom ver tudo isso..
    Bjs
    Iana

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      23 de março de 2017 at 8:56 pm

      Obrigada mana, beijos

  • Reply
    LUIZ ROBERTO RODRIGUES MARTINS
    26 de março de 2017 at 5:29 pm

    Isso que vc fez se chama SABEDORIA…menos é mais…precisamos sair do circuito de vez em quando…desconectar …para ver as pessoas…sentir os perfumes …olhar o céu..admirarar a plenitude de viver…a escravidao da net oprime a todos e virou uma doença social…parabéns…menos fotos…mais vida…

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      27 de março de 2017 at 12:14 pm

      Vivendo e aprendendo!!!
      Beijos
      Kely

  • Reply
    10 Dicas para facilitar sua viagem especialmente naquele momento de perrengue - Kely pelo Mundo
    21 de setembro de 2017 at 2:49 pm

    […] explique sua situação com gentileza e informe quais são as implicações se perder o vôo. Leia aqui minha última experiência no […]

  • Deixe um comentário