1 de abril de 2014 Por
12 Em Reflexões/ Viagens

O coração que se parte em dois

Certa vez, conversando com o meu chefe brasileiro, recém chegado na Áustria, sobre morar em outro país e etc, ele disse ter escutado de alguém que quando mudasse de cidade ou de país deveria levar o coração junto.

Naquele momento, descobri porque sempre me senti tão inteira nos primeiros anos em que mudei para Viena; quando decidi vir,  vim de mala , cuia e coração.

Porém, com o passar dos anos, percebemos que, por mais que levemos nossos corações, quem tem a oportunidade de morar fora do país, jamais será o mesmo.

Vamos percebendo nuances da vida. E aí começa toda a questão:

14.04.01 um coracaoDefinitivamente, já não sou mais de lá e infelizmente nem sou daqui.

Quanto mais fico aqui, menos sou de lá, mas não me torno mais de cá.

Um eterno conflito que se instaura no coração apaixonado por dois lugares ao mesmo tempo.

Amar um não necessariamente te obriga a desprezar o outro.

E talvez a saudade seja uma palavra presente no coração de quem já foi de lá e está aqui.

E é também um sentimento de quem voltou pra lá e sente falta daqui.

Quem já está aqui, queria estar lá… mas quando está lá, sente falta daqui.

Um coração que se divide em dois e que nunca mais será inteiro, porque aqui e lá se completam, mas nunca se encontrarão.

São como dia e noite, que não existem um sem o outro e por mais que sejam opostos, se completam.

Texto: Kely Martins Bauer  / Revisão: Cinthia Stylianou

kely Pelo Mundo

Veja também

12 Comentários

  • Reply
    JuK
    1 de abril de 2014 at 8:58 pm

    Verdade verdadeira! Te amo amiga.

  • Reply
    Iana Martins
    1 de abril de 2014 at 11:00 pm

    Cidadã do mundo.. Lendo seu texto vejo que mesmo conhecendo vários países a essência permanece. E saiba que mesmo se um dia voltasse também veria como tudo está mudado. Outro dia passando na 408 norte senti a sensação de que estava revendo um filme conhecido. Bom mas estranho!!

  • Reply
    Cinthia
    2 de abril de 2014 at 5:28 pm

    Verdade verdadeira amiga x

  • Reply
    Delma
    2 de abril de 2014 at 6:03 pm

    Não conhecia seu blog, agora vou visitar sempre. Gosto das coisas que escreve, que compartilha, especialmente da leveza com que leva a vida. Você disse que seu melhor amigo é Jesus. Tenho certeza que ele é o responsável por essa beleza que você deixa transparecer em suas crônicas. Que você continue sendo inspirada e abençoada por Ele. Beijo

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      6 de abril de 2014 at 1:12 pm

      Delma,
      que bom que vc gostou.
      Muito obrigada pelas palavras.
      Um beijo
      K.

  • Reply
    Lucia Castelo Branco.
    7 de abril de 2014 at 5:31 pm

    Você está perfeita na escrita e nos sentimentos. Estou feliz de vê-la sempre crescendo. Bjs.

  • Reply
    Mudanças a gente quer, mas nem tanto! | Femme Volátil
    31 de março de 2015 at 6:17 pm

    […] nessa hora, que a gente coloca no papel quais são os prós e contras. O que vou escolher e pra onde vou. Nem sempre é você quem toma a decisão. Ás vezes a decisão foi do outro, como foi no meu caso, […]

  • Deixe um comentário