6 de maio de 2015 Por
3 Em Reflexões

Hora de faxinar!

ralo4Quem me conhece, sabe muito bem que as atividades de casa, como cozinhar, lavar, passar, limpar, fazer compras de supermercado etc. não são o meu forte. Sou do tipo que não gosta de fazer essas coisas, mas se eu tiver que fazer, vou colocar uma música bem alta e me divertir. Já que tem que ser feito, vamos fazer com prazer, que é mais gostoso, afinal nada de cara amarrada.

A vida é muito curta pra se perder tempo com bobagem…

Morando em Viena tive que aprender a ser dona de casa. Mentira! Eu faço apenas algumas coisas rs. Cozinhar diariamente não é uma delas! Ainda considero essa atividade problemática, mas vez por outra, faço uns quitutes e uso os colegas de trabalho como minhas cobaias. Até agora fui aprovada nos testes e espero que numa dessas ninguém passe mal. hihihi

Agora, com a mudança de estação, chegou a hora de faxinar o armário. Temos que mudar a coleção de inverno para a de verão. Tirar todos os casacos pesados do armário e colocar as roupas intermediárias e mais leves à disposição. Afinal, os próximos 5 meses serão de primavera- verão.

Ano passado, escrevi sobre as 33 coisas que vamos valorizar nessa estação. E o ritual se repete. A vida em países onde as estações do ano são bem definidas, passa a ter uma rotina. Tudo é baseado nos termômetros, desde a roupa que iremos usar, as comidas que iremos nos deliciar, os esportes a serem praticados e até mesmo os programas sociais.

Com isso, a gente tem que preparar a alma e o corpo para os novos dias.

Fazendo minha faxina semestral, ou seja, trocando minhas roupinhas e sapatinhos de lugar, sempre acabo doando o que não me serve mais ou passando pra frente coisas que até mesmo gosto, mas que não uso com tanta frequência.

Só que, além de colocar em prática o desapego das coisas materiais, descobri que a gente também deve fazer uma faxina nas próprias emoções.

Sabe aquela velha história de que todos nós carregamos uma mochila na costas e, à medida que as coisas acontecem a gente vai guardando nessa mochila? O peso dado a cada acontecimento é individual.

Infelizmente, o ser humano tem a tendência de atribuir maior peso às dores, decepções e frustrações. E as coisas leves e boas da vida acabam, muitas vezes, sendo sufocadas pelas ruins.

Que tal a gente inverter as coisas? Se concentrar nas boas e tratar as coisas ruins de uma forma tão rápida ao ponto delas não entrarem na mochila?

Vamos levar a vida mais leve, com mais música, mais sorriso e menos cobrança.

Devemos ser misericordiosos e ter compaixão, principalmente conosco, assim, automaticamente, transferimos isso ao demais. Pois, se não conseguimos nos tratar com gentileza seremos incapazes de fazer isso com os outros.

Acredito que será mais fácil manter tudo arrumado no campo das emoções se aprendermos  a fazer uma faxina diária. Ok, se não der para fazer diariamente, que seja semanal. O importante é manter sempre em ordem.

Mas como fazer isso? A dica é bem simples. Tire um tempinho de 30 minutos e avalie se foi um dia mais ou um dia menos, ou seja, se foi um dia positivo ou negativo.

Foto-26

Não se esqueça que a  ampulheta já foi virada, o tempo é curto, a vida acaba e não temos tempo pra perder com ressentimentos, que nada mais são do que ficar insistindo em sentir as coisas ruins novamente.

Se for para sentir algo, que possamos ser nutridos das boas lembranças.

Devemos treinar nosso cérebro para o que há de bom, e assim, automaticamente, a vida o segue.

Aprendemos muito mais através do exemplo do que de palavras. Sabemos também que são necessários cerca  de 60 dias para se adquirir um hábito e incorporá-lo à nossa rotina.

Vamos mudar hoje o que não nos convém.

Outra coisa importante são as companhias. Já percebeu que gente que reclama demais, conta só as desgraças da vida, carrega consigo uma energia extremamente negativa? Procure se afastar dessas pessoas, especialmente se estiver num momento frágil. Esteja com aqueles que se divertem e sempre tiram boas lições dos tropeços, além de conseguirem rir dos seus erros.

Não há nada melhor que ter bons amigos.

Gente que vive cheia de dores, reclama de tudo e só valoriza coisas negativas não pode estar no topo de companhias.

Procure fazer uma vez por dia algo que te faça feliz. Assim, automaticamente, interferimos no nosso ambiente, e atraímos aquilo que expressamos. É a velha outra face do espelho.

Vamos nos cercar de coisas boas e reproduzir o bem. A própria vida se encarrega de nos devolver a conta. Garanto que quando a gente pratica o bem, sem olhar a quem, sempre ganhamos um bônus.

Vamos faxinar, galera! Pra deixar tudo limpinho de corpo e alma. E cuidado com o que você carrega na “mochila”. Cuide das suas emoções, só você pode fazer isso.

Beijinhos

IMG_6941

O conteúdo desse Blog pode ser reproduzido, desde que a fonte http://www.femmevolatil.com seja indicada.

Texto e fotos: Kely Martins Bauer

Revisão: Maria Lucia Castelo Branco

kely Pelo Mundo

Veja também

3 Comentários

  • Reply
    anabarandas
    6 de maio de 2015 at 8:43 am

    Ahhhhhhhhhhhhhhhh, eu tenho uma meia igualzinha a sua…. ADORO as meias daí. Acredita que quando vou a Áustria sempre compro meias???? rsrsrsrsrsrrs

  • Reply
    Iana Martins
    6 de maio de 2015 at 11:11 pm

    Assim como fazemos quando trocamos a bolsa, que tiramos aqueles papeizinhos que guardamos só pra jogar no lixo depois.. Fiz isso hoje!! E pra começar animando meu dia (já que trabalho de uniforme) mudo a cor do batom, ponho um brinco diferente, e por aí vai.. Bjs

  • Reply
    zelia
    10 de maio de 2015 at 4:01 am

    Mudar o guarda roupa…
    Trabalho cansativo pra mim
    Mas já comecei também.
    Pessoas negativas,to fora
    Bj linda

  • Deixe um comentário