9 de setembro de 2014 Por
0 Em Reflexões

Detalhes que falam 3/3

Chegamos ao último post sobre confiança e de se faz certo pelo simples fato de ser o correto.

🚺🚺🚺🚺🚹🚹🚹🚹🚻🚻🚻🚻🚾🚾🚾🚾

No meio do mês de junho fomos ao show do Rolling Stones.

Para entrar no estádio foi super rápido e organizado. Lá dentro o espaço entre uma pessoa e outra é extremamente confortável, nada de empurra empurra ou gente se esmagando.

No Brasil nunca gostei de ir a Shows por causa da muvuca insandescida. Rs

A primeira vez que estive no estádio por aqui foi no Show do Robin Williams, tomei um susto com a civilidade do povo.

Depois fui ao concerto do Jon Bon Jovi e do Roger Waters (vocalista do ex- pink floid), a mesma boa impressão continuou.

Nada de cerveja sendo derrubada na gente nem pessoas te irritando. Lógicoooo que tem os bebuns, mas desses mantemos a distância, temos espaço esqueceu!?

Dai fui observar o povo no banheiro.

O lugar mais importante quando a necessidade fisiológica chega.

Principalmente para nós mulheres, esse é um “Thema”. Eu sou daquelas que até bebe menos pra não enfrentar as longas filas para ir ao banheiro. Detesto! público então afff ! evito ao máximo.

A fila até que anda rapidinho e tem o WC feminino, o masculino e para pessoas portadoras de deficiência.

Todo mundo esperando a sua vez. Os banheiros masculinos mais vazios e ás vezes até vemos algumas mulheres por lá e os para deficiente completamente vazio.

Quem disse que alguém ousou usar o que não pode. Imprescionante!!!! ai de mim, pobre mortal de simplesmente pensar nessa possibilidade hahahah

Lógico que já pensei em furar fila, correr para o banheiro mais vazio, mas minha mãe me deu educação e fila é uma coisa que a gente (brasileiro) respeita e muito bem!sim, senhor!

Sensacional essa experiência de civilidade!!!! não!?
👥👤👥👤👥👥👥👥👤👥👤👥👥👥👥👥

E no cinema a mesma coisa.

Você compra ingresso para um filme, o fiscal só controla na entrada principal que dá acesso a todas as salas e a parte do “restaurante” e banheiros; ou seja você fica livre para ter acesso a hora que quiser as demais salas. Se não me engano no Parkshopping era assim há uns 20 anos.

Isso significa que ninguém controla se você vai assistir só o seu filme ou outros depois da sua sessão.

Mas os lugares são marcados e se você sentar num lugar que não é seu, na hora que o dono chegar vai pedir licença e você vai passar vergonha.

Contei a um austríaco sobre a possibilidade de assistir um outro filme de “grátis” ele demorou a entender como poderia se fazer isso hahahah legal ver essa certa inocência em muitas coisas ou triste ver a nossa malandragem.

👪👪👪👪🙇🙇🙇🙇🍼🍼🍼🍼😉😉😉😉

E pra finalizar uma grande amiga brasileira disse ter conseguido uma babá para cuidar do seu filho pela metade do preço da hora mínima.

A moça também estrangeira precisava do dinheiro. Minha amiga achou a idéia ótima e compartilhou com o marido austríaco.

Ele na hora retrucou e disse que de jeito nenhum.

Enfático disse:

– se eu for para pagar, vou pagar direito. Não quero explorar ninguém e nem quero entregar os cuidados do meu filho por um preço mais baixo.

A atitude dele foi um tapa na cara com luva de pelica e um ensinamento para todos porque aqui se faz o certo por ser certo nem que isso custe mais caro que a oferta.

Bonito isso!!!

😘😘😘😘😘😘

Ah só mais um caso:

Logo que cheguei em Viena esqueci um rolo papel de presente no ônibus que só faz três paradas até a estação do trem.

5 Horas depois, perguntei ao motorista se alguém havia achado o rolo e para minha surpresa encontrei. Imagina a minha surpresa, fiquei perplexa.

Fora isso eu mesma já devolvi 2 celulares perdidos. Um encontrei no taxi e fiz questão de achar o dono, o outro encontrei próximo ao caixa eletrônico.

Os donos receberam os telefones felizes da vida.

Eu acredito que na vida a gente recebe tudo de volta; seja bom ou ruim, nas pequenas e grandes coisas.

São esses e outros exemplos que nos fazem no dia-a-dia repensar nos valores de uma nação.👍

Se você perdeu os outros posts relacionados é só clicar:

Achados e Perdidos 

Detalhes que falam 1/3

Detalhes que falam 2/3

 

Foto-66

 

 

Texto: Kely Martins Bauer / Revisão: Cinthia Stylianou

Fotos: Kely Martins Bauer

kely Pelo Mundo

Veja também

Comentários

  • Reply
    Iana Leite Martins
    10 de setembro de 2014 at 11:53 am

    E o bom disso tudo é saber que é possível viver com civilidade.
    Beijos.

  • Reply
    Luciana Vieira Motta
    11 de setembro de 2014 at 3:39 pm

    Seus posts estão mto interessantes! Parabens!

  • Deixe um comentário