26 de setembro de 2014 Por
0 Em Reflexões

De tudo um pouco – De Bike dobrável a nova forma de atendimento em restaurante fast-food

Querido diário,

Definitivamente sexta-feira é o dia mundial da alegria. Já viu que as pessoas chegam mais dispostas no trabalho, sorriem mais e são mais leves?

E como sou filha de Deus também me sinto no direito de botar o pé na jaca e me lambuzar.

Como o dia amanheceu nublado, resolvi me vestir mais coloridinha, afinal a estação do ano está mudando e logo logo adeus sandálias e cores claras, pelo menos se tratando de calças e saias.

Acho que eu sou ainda uma das poucos corajosas que ainda não calçou botas. Na verdade me recuso, porque depois que começar a temporada dos calçados fechados já era… e só ano que vem, teremos os pezinhos de fora por aqui.

Como amanheci animada resolvi pagar o mico e sair fotografando tudo que é divertido, diferente e até mesmo o que for comum. (Na verdade eu faço isso quase todo dia, quando menos percebo já tirei a foto, é mais rápido do que eu. Aff, ainda vou apanhar por causa disso, vou pedir pra santim dos fotógrafos me ajudar) rs.

Pois é, mas hoje resolvi dar uma de intrometida e fui ver a cor da vida conscientemente. Vamos embora?

Logo no caminho me deparei com uma cena super interessante. Um cara saindo do metrô com uma bicicleta na mão, como quem carrega uma pasta.  Calma lá! Você não entendeu errado e não precisa voltar para reler. É isso mesmo. O cara saiu carregando a bicicleta dobrável na mão.

Em Viena tem regra pra tudo e não poderia faltar regrinhas para usar transportes públicos. E há uma especialmente se tratando de levar no metrô o camelo. Eu sei que provavelmente você não saiba o que é camelo, mas é assim que em Brasilia, se chama bicicleta. Enfim, o horário é restrito, só se pode entrar com o veículo de segunda a sexta das 9 da manhã ás 3 da tarde ou depois das 18 horas; e nos feriados e finais de semana tá tudo liberado.

Adoro essa regra, até porque no horário de pico é complicado com gente pra tudo quando é lado e querendo ou não as bikes ocupam muito espaço.

Então voltando pra bike dobravél, o cara resolveu arrumar um forma de solucionar seu problema; comprou uma bicicleta dobrável.

A bicicleta já existe desde o final dos anos 70 e seu peso depende das inúmeras configurações, pois é totalmente personalizável, mas poderá variar entre os 9 e os 12,5Kg.  A dobragem é simples, e em poucos segundos a bicicleta transforma-se num pequeno instrumento portátil.

Tive aquela sensação da fada transformando abóbora em carruagem.

Sensacional!

Foi tão sensacional que tomei um susto. Fiquei impressionada e esqueci de perguntar o nome do rapaz e fazer algumas perguntinhas, mas pensando bem foi melhor assim… eu não queria atrapalha-lo, ele já tinha sido gentil demais em me deixar fotografar a bicicleta, sem fazer cara feia, muito pelo contrário fui recebida com um belo sorriso no rosto (mas acho que é porque é sexta-feira né?) rs.

Sabe do que mais gostei!? É que ter uma bike como essa, além de ser fácil de transportar é possível diminui as possibilidades de furto já que ela pode ser carregada pra tudo quanto é lado.

Adorei.

Fui trabalhar contente por ter visto algo novo. E no meio a tantos problemas e resoluções chegou a vez da pausa.

Geralmente almoçamos rápido e próximo do escritório, mas como sexta-feira é um dia mais interessante fomos para o centro da cidade que fica só a uma estação de metrô da nossa.

A intenção era comer num restaurante, mas no meio do caminho um colega sugeriu de irmos ao McDonald´s. Evitamos… mas hoje é sexta e dia de pé na jaca. Meu marido que não leia isso, senão é perturbação na certa.  Ele detesta fast food. rs (abafa!)

Daí outra veio outra surpresa, chegamos no Mc e o estabelecimento passou por boa reforma e voltou com cara de street.

As paredes decoradas com papéis de parede imitando pichações, deu um ar totalmente despojado de cidade moderna. Lá dentro agora tem um elevador para facilitar a vida de quem tem carros de bebê, pessoas com dificuldades de locomoção ou até mesmo preguiçosos e sedentários (como eu!) rs, brincadeira, porque já estou me disciplinando a substituir algumas escadas rolantes pelos degraus. No andar de cima além das mesas para a refeição, há o Mc café; uma opção pra quem não quiser comer sanduíche.

Fora isso, agora você pede o seu menu na maquininha e espera seu pedido próximo ao balcão. Claro que pra quem não quiser usar os monitores e montar o próprio menu, pode ir a um caixa normal solicitar seu pedido.

Após comer aquele sanduíche de plástico, que estava o ó.. porque pedi tudo errado, foi hora de tomar um sorvetinho orgânico, bem gostoso, do outro lado da rua.

A tarde voltei pro escritório. A noite resolvi te contar meus segredos e logo logo vou para os braços de Morfeu.

Querido diário foi muito bom compartilhar um pouquinho do meu dia com você, espero ansiosamente pelo nosso próximo encontro.

Um beijo e bom final de semana.

 

Foto 4

Para bike- A regra é clara

Foto 1

“Abóbora” – A bike bem pequena

Foto 2

“Caruagem” – Ela no tamanho normal

 

Foto 2

Escolhendo

Foto 3

Depois do pedido feito é só esperar o seu nr, no monitor que não é sequencial.

Foto 3

decoração

Foto 4

Pegando a senha – esses são os culpados pela ideia.

Foto 5

Elevador e escada.

Foto 1

Café

Foto 2

Ambiente do café

Foto 4

mais uma mesa

kely Pelo Mundo

Veja também

Comentários

  • Reply
    Luciana Vieira de Sousa da Motta
    26 de setembro de 2014 at 9:11 pm

    Deliciosa leitura

  • Deixe um comentário