13 de maio de 2015 Por
3 Em Reflexões

Como ser gentil e sobreviver em tempos de crise

norma-inculta

 

A vida é cheia de altos e baixos, não é mesmo? E graças a Deus por isso, afinal seria muito chato se tudo fosse a mesma coisa sempre, sem novidades. E como sempre digo, nem sempre mudança é sinônimo de melhoria. O pior mesmo é quando a situação é ruim e a gente se amarga.

Esses dias estava almoçando com alguns amigos. Um deles é meio explosivo e, quando as coisas não são feitas do jeito que ele espera, sempre fica bravinho e ploft!! solta os cachorros. A situação era ridícula, o suco que ele pediu estava com gosto de água suja e dava para ver que ele iria reclamar com a atendente de forma meio bruta. No momento eu disse:

– Calma! A pessoa que te serviu não tem culpa. Pede pra trocar, mas seja  gentil.

Nesse momento todo mundo começou a rir e surgiu o tema “como ser gentil em tempos de crise”. Ninguém gosta de gente grossa. É muito chato conviver com quem  já chega brigando e é sempre dono da razão. E tiro isso por mim mesma. Eu era dona da razão em muitas coisas, mas isso tem mudado muitooo em mim. Observo que a cada dia que passa, quanto mais eu sei, mais ainda há o que aprender.

Ultimamente, tenho algumas pessoas de perto e de longe que tem me ensinado a ser mais tranquila. Tenho aprendido muito com exemplos. Uma delas, inclusive, mora no meu coração e é a calmaria em pessoa, mas quando está brava dá para ver no seu olhar…  e, rapidinho, quem está desagradando trata de mudar de atitude.

Conviver com pessoas assim é muito melhor que o oposto. É melhor ter uma pessoa que está sempre calma, e quando alguém ultrapassa o limite ela percebe e trata de ajustar tudo, do que aquela bomba atômica que explode por qualquer coisa, e, de tanto explodir, as pessoas já nem dão valor.

No mundo corporativo então, isso é coisa do passado. Ninguém vai trabalhar melhor por causa das broncas grosseiras dos chefes explosivos e/ou bipolares. Se bem que esse é papel de “chefe”: aquele que manda e todo mundo obedece, mas o mundo corporativo busca líderes, e líderes que, além de colocar a mão na massa, conseguem motivar as pessoas pelo bom exemplo.

Posso me considerar uma pessoa de sorte.  Tive vários chefes que deixaram saudade. Além de competentes e bons líderes, me ensinaram muitas coisas, inclusive, no campo relacional. Aplauso para eles! Mesmo com muita pressão, o respeito a cada um sempre foi essencial. Um exemplo que a gente leva pra vida toda.

Mas como agir em tempos de crise em qualquer relação interpessoal? (E atenção! falo de  toda relação mesmo, dentro e, especialmente, fora do mundo corporativo). 

Muitas vezes nossa vontade é de sair correndo, chutar o balde e gritar quando a pressão ultrapassou o limite. Mas nem sempre é possível, ou se deve, fazer isso. 

E o que fazer então?

Cuidado, porque é necessário liberar essa carga negativa e, se a gente não prestar atenção, o corpo acaba reagindo de um jeito ou de outro, e isso pode nos deixar doentes. Por isso, não podemos levar ao nosso corpo os desgastes emocionais causados durante a nossa  rotina.

Eu tenho aprendido a lidar com novas situações nos últimos tempos, e esses dias um amigo fez um comentário bem interessante. Ele disse: “nossa, Kely, o que você tem feito que está bem mais tranquila?”. Eu ri e vou compartilhar um pouquinho com vocês.

Descobri que ser gentil é essencial. E se não somos, podemos trabalhar até que nos tornemos. Durante esse processo pequenas coisas podem nos ajudar:

1- Respire fundo – A respiração acalma nossas emoções e nos traz tranquilidade.

2- Chore – Se estiver emocionada(o), com raiva, chore, se desintoxique e deixe as lágrimas lavarem a alma. Essa instabilidade vai passar. Lembre-se, todo mundo está enfrentando algum desafio.

3- Seja gentil – Isso é fundamental para não criar antipatia com outras pessoas. E seja mais  gentil ainda com quem estiver te prestando algum serviço, não importa qual seja. Pense sempre: “como eu gostaria de ser tratado?”.

4-. Tudo muda – Tenha em mente que nenhuma situação é permanente. E, se você estiver passando por algo desconfortável, saiba que pode tirar algum proveito, nem que seja para aprender como não fazer… entendeu?

5- Busque sua válvula de escape. Ela pode ser a dança, música, filme, esporte …qualquer coisa. Separe um tempo para você.

6- Converse sobre o assunto, mas não fale só disso. A gente, especialmente as mulheres, tem a mania de falar mil vezes a mesma coisa. A sensação que temos é que, ao falarmos sobre isso, iremos nos esvaziar e tirar toda essa tristeza ou irritabilidade da nossa mente. Mas sabe o que tenho aprendido? A gente deve falar sim, mas não muito, não o tempo todo, afinal tudo que a gente dá ênfase cresce. Isso você pode ler aqui. Compartilhar é importante, mas exaltar e focar muito na tristeza pode nos levar a um círculo vicioso de reclamação.

7- Reze. Essa é uma ótima dica- Se estiver com ódio, raiva ou rancor reze/ ore por essa pessoa, mande energia positiva para o bem dela. Nada de mandingas e desejar o mal. Não esqueça da lei do retorno. Tudo volta. Eu sei! Entendo que certas pessoas são insuportáveis.  Nossa vontade é que a pessoa que a gente não gosta exploda. Eu tenho uma na minha lista, mas é melhor desejar o bem que o mal.

8- Faça com os outros como você gostaria que fizessem por você – É  bom quando alguém nos trata bem, certo? Então por que tratar o outro com desprezo? Geralmente, quem não sabe das suas próprias capacidades, procura  desprezar o outro para se sentir melhor e isso não passa de insegurança. Pessoas arrogantes geralmente são assim para esconder uma incompetência ou fragilidade.

9- Ensine de maneira clara – Se alguém te perguntou uma coisa que já deveria saber, não se irrite. Ninguém é obrigado a saber o que você sabe. Volte ao ponto 8.

10- E se nada disso resolver … Xingue- Isso mesmo, você não leu errado! Está com raiva, vai lá pra trás da igreja, ou no meio do mato, entra no banheiro sei lá… e dê um grito. Tenha o cuidado de estar sozinho, ninguém merece participar desse seu momento de ódio rsrsrsr.

Ah! Acabei de lembrar de um episódio da minha família. Minha mãe sempre falou ao meu irmão explosivo… “está com raiva!? dá um soco na parede, mas não agrida ninguém”. Gente! Não é o que o menino foi lá e fez. Acabou parando no hospital para engessar a mão. hahahah.

Então meu conselho é só dar um gritos, mesmo. Depois de liberar toda essa carga negativa, tome um delicioso chá, volte ao ponto 1 e dê um sorriso.

Afinal é melhor enlouquecer de vez em quando do que  enlouquecer de vez.

Passarinho

 

Beijos

Kely

O conteúdo desse Blog pode ser reproduzido, desde que a fonte http://www.femmevolatil.com seja indicada.

Texto:Kely Martins Bauer

Revisão: Maria Lucia Castelo Branco

Foto: 1. foto da internet. Se a foto for sua e você deseja que ela seja creditada ou removida, por favor entre em contato. Iremos atender sua solicitação o mais breve possível. Obrigada

kely Pelo Mundo

Veja também

3 Comentários

  • Reply
    zelia
    13 de maio de 2015 at 11:41 am

    Falou tudo…

  • Reply
    Iana Martins
    13 de maio de 2015 at 10:17 pm

    É a mais pura verdade e nos dias atuais onde todo mundo anda irritado, com pressa, ser educado, gentil passou a ser um diferencial, e você passa a ser notado por isso. Lembra das palavras mágicas: obrigado, com licença, por favor… então essa era a regra. Bjs

  • Reply
    Bernadete Teixeira
    14 de maio de 2015 at 4:09 pm

    Excelente o texto, todos nós temos as nossas mazelas, mas antes de soltar os cachorros nos outros temos que pensar , parar e respirar os outros não são saco de pancadas para receber constantemente grosserias, um dia a casa cai. Lei do retorno.

  • Deixe um comentário