2 de novembro de 2016 Por
0 Em Dica de Viena/ Europa/ Reflexões/ Viagens/ Viena

Áustria: Zentralfriedhof um cemitério cheio de pessoas ilustres 

Você sabia que Mozart foi sepultado numa vala comunitária? E que o cemitério de Viena também é um atração turística ?

Na Áustria não é feriado no dia dos finados (02 de novembro), mas sim no dia 1º – Dia de Todos os Santos. As pessoas aqui também aproveitam o dia livre para visitar os túmulos dos familiares.

Desde pequena sempre achei cemitério algo curioso. Tenho recordações da infância de quando estivemos no cemitério do Rio e guardei na memória aquelas belas estátuas sobre as sepulturas. Em Brasília, terra onde nasci e cresci, eu só fui ao cemitério para visitar túmulos de parentes, mas confesso que sempre achei o lugar bem bonito, cheio de paz e um bom lugar para se pensar sobre a vida. Ao contrário do cemitério no Rio de Janeiro, o de Brasília não possui nenhuma estátua e os túmulos são todos baixos.

Mas você já pensou em turistar em um cemitério?

img_6088

Eu não tinha pensando nisso até visitar, apenas por curiosidade, o cemitério de Viena. Como não tenho parentes enterrados por lá, resolvi conhecer o que pode até ser considerado ponto turístico da capital da Áustria.

Pesquisei na internet, e descobri que há, inclusive, uma visita guiada. E foi pra lá que eu fui. Chegando no cemitério, que fica um pouco afastado do centro,  dei de cara com a nossa guia, uma senhora simpática com um casaco vermelho. Como fui uma das primeiras a chegar, achei que haveria poucas pessoas, mas, para minha surpresa, o grupo foi bem grande.

Depois disso descobri que muita gente gosta do assunto e inclui a programação no roteiro de viagem e nem é tão mórbido quanto parece. Após essa experiência em Viena, já estive em outros cemitérios pelo mundo, como no Vietnam, Irlanda e Escócia, além de sempre perguntar aos guias a forma como são feitas as cerimônias de enterro na cultura local.  Existe muita coisa interessante, inclusive depois escreverei um post só sobre isso, ok?

Vou te contar sobre o cemitério de Viena e já te adianto que gostei do passeio e, se você gosta do assunto, indico fazer o tour guiado.

img_6168

O Cemitério Central de Viena, que em alemão se chama Wiener Zentralfriedhof, existe desde 1874, sendo um dos maiores da Europa. Lá é possível visitar túmulos de muitos artistas, pessoas ilustres e gênios da música clássica, como Beethoven, família Strauss, Schubert, entre outros, mas agora preste atenção em uma coisa. Há um túmulo reservado a Mozart, mas não foi lá que ele foi enterrado, e sim no cemitério St Marx. Um fato curioso é que não se sabe exatamente onde o corpo de Mozart foi colocado originalmente, porque ele morreu pobre, e sua mulher não teve condições financeiras para pagar uma cova, tendo sido ele sepultado em uma vala coletiva. A lápide que se encontra no cemitério central é apenas simbólica.

O cemitério possui várias entradas, mas a melhor para se chegar lá é o portão 2. O lugar parece com um parque e é um ambiente super agradável para fazer uma bela caminhada. Logo na entrada, você verá um alameda que dá acesso à igreja de São Carlos Borromeu, mas antes passará por belíssimas lápides de muitos famosos.

img_6083

Caso não queira fazer o tour, você pode fazer sozinho o passeio pelo cemitério. Aconselho pegar um mapinha com o guarda logo na entrada. É interessante observar que a questão da religião é bem marcante. Os túmulos são agrupados de acordo com a religião, com alas para protestantes, católicos, cristãos ortodoxos russos, mulçumanos,  judeus e outros. Existe também uma ala para crianças e para vitimas da primeira e segunda guerras.

Você pode visitar o a pé, ou até mesmo de charrete.

img_6077

Anote aí:

Apesar de o lugar se chamar Cemitério Central, ele fica fora da cidade, aproximadamente uns 20 min, e você pode chegar lá de carro ou de trem de superfície.
Como chegar: Pegue o bonde 71 e desça no penúltimo ponto (Tor 2); ao descer, procure o infopoint para obter seu mapa.
Endereço: Simmeringer Hauptstraße 234, 1110 Wien
Entrada: Gratuita
Horário de funcionamento: aberto diariamente, mas atenção aos horários:
08:00 ás 17:00 – Jan e fev
07:00 ás 18:00 – März
07:00 ás 19:00 – Abril a setembro
08:00 ás 20:00 – Todas as quintas de Maio a agosto
07:00 ás 18:00 – Outubro
08:00 ás 17:00 – Novembro e Dezember

Para mais informação procure o Museu dentro do cemitério lá você poderá alugar Audio Guide por euros 7,00 horário de funcionamento de segunda a sexta das 9.00 ás 16:30 e sábado das 10:00 ás 17:00 detalhes clique aqui 

Tour a pé: duração de 2 horas
Ticket: 16,00 euros
Língua: Alemão.
Dias e horários: Todos os Sábados a partir das 14:00
Detalhes: clique aqui
Você também pode alugar um áudio guide ou pegar mapinha: Mais detalhes aqui

Para ir de charrete:
Período: Abril a Outubro
Horário: 10:00 às 16:30
Duração e preços por charrete podendo ser até 4 pessoas: passeio curto dura 30 min e custa 50,00 euros ou passeio longo dura 1 hora e custa 80 euros

Gostou de saber? Compartilhe e deixe seus comentários aqui.

Beijinhos e até o próximo post.

img_6154

Na ala do famosos música clássica

igreja

Igreja de Sao Carlos Barromeu

 

img_6243

A igreja por dentro

 

explicar

Pessoal interessado no assunto

 

Achei bastante gente para o programa, não é?

O casal estava no tour

O casal estava no tour

 

 

kely Pelo Mundo

Veja também

Comentários

  • Reply
    Karina Oestreich
    2 de novembro de 2016 at 5:49 pm

    Kelly.. adoro visitar cemitérios..nada macabro, só a viagem de olhar lápides, e saber um pouco mais sobre aquela pessoa que está ali, época em que viveu.. o que pode ter vivido etc…
    É um local pra mim de paz! Me faz refletir bastante!

  • Reply
    LUIZ ROBERTO
    2 de novembro de 2016 at 9:21 pm

    Visitar cemitérios está cada vez mais na programação turista… em Buenos Aires a Recoleta me impressionou bastante pela limpeza e o Père Lachaise em Paris pela ala dos mortos nas guerras francesas… como diz o filósofo a morte faz parte da vida e para cuidar dos mortos é preciso antes cuidar dos vivos… matéria muito bem feita… parabéns.

  • Reply
    Nádia
    8 de novembro de 2016 at 3:48 pm

    Kelly, parabéns por esta matéria, texto claro e belas ilustrações.
    Saber um pouco mais sobre a cultura e mostrar a realidade, é um livro aberto em todas as páginas, nos faz voar e sonhar.
    Adoro culturas, suas diferenças e tudo que vem com ela.
    Continue escrevendo sempre !
    Nádia aus Brasilien

  • Deixe uma resposta para Karina Oestreich Cancele a resposta