24 de março de 2014 Por
2 Em Frufru feminino/ Reflexões

As sapatilhas

Para uma bailarina, as sapatilhas de pontas são lindíssimas e é um sonho a ser conquistado.

Passamos os primeiros anos do ballet pensando no tão sonhado momento de subir nas pontas, só que, quando chegamos lá, descobrimos que nem só de beleza e leveza é composta esta nova fase.

É necessário aprender a se equilibrar, superar limitações e, sobretudo, descobrimos que apesar da dor, é necessário sorrir mesmo quando tudo aperta ou até mesmo sangra.

Aprendemos a desfrutar do melhor da alegria que a dança traz, do sabor do espetáculo e da atmosfera lúdica do teatro.

Descobrimos o confortável mesmo no que produz desconforto.

É um processo continuo… e com o  passar do tempo superamos a nós mesmas com a prática do exercício diário.

Vamos além, nos esticamos mais e nos equilibramos quando é necessário.

Choramos, sorrimos, compartilhamos momentos e fazemos amizades que guardaremos pra sempre no coração.

A vida passa…
…e descemos do palco.

Crescemos e vamos viver, levando conosco as primeiras lições das “pontas” para a nossa vida toda: beleza, equilíbrio, alongamento, superação.

Aprendemos que é atrás das cortinas, nos bastidores, quando ninguém vê, é que nos aperfeiçoamos.

Nos bastidores Descobrimos lá atrás, que mesmo que a tristeza possa aparecer, o espetáculo da vida vai continuar.

E você entende que o palco é você, as sapatilhas são os acontecimentos e sobretudo percebe que o espetáculo é só seu 🙂 e é claro, também para poucos e íntimos convidados.

 

 

Texto: Kely Martins Bauer  / Revisão: Cinthia Stylianou

Foto: Internet 

kely Pelo Mundo

Veja também

2 Comentários

  • Reply
    Sarah Bontempo
    24 de março de 2014 at 10:11 pm

    Que lindo! Chorei!

    • Reply
      Kely Martins Bauer
      6 de abril de 2014 at 1:09 pm

      Sarinha,
      Nossa amizade nasceu dessa época, né?
      Beijos
      K.

    Deixe um comentário